tenho uma folha branca
…e limpa à minha espera:
mudo convite.
tenho uma cama branca
…e limpa à minha espera:
mudo convite.
tenho uma vida branca
…e limpa à minha espera.

a vida ligada no automático. das horas que não passam. dos dias que já foram. já foi. a vida ligada no automático pra ver outra vida passar. outra hora acontecer. esse tempo que não passa permite ver com clareza. essa outra vida vivendo. esse outro eu que se perdeu.

o que me olha mas não me enxerga
o que eu quero mas não posso

o que eu enxergo mas não vejo
o que me acalma mas não aquieta

o que eu sinto mas não toco
o que é meu mas eu não tenho

esse céu, cinza
esse vento
é.

(...)penso em você, penso em você com força e carinho.

Vontade de dizer tanta coisa. Vontade de dizer vem e me abraça de novo e me faz esqucer que existe esse outro mundo onde eu não quero ficar. Me deixa ficar aqui, me deixa ficar aqui olhando pra você e pensando em tudo isso que eu quero dizer e não posso, não consigo, não posso. Vontade de dizer olha como eu sinto tanta, mas tanta saudade… Saudade de quê? Saudade saudade saudade, essa coisa que não passa, esse nó que eu tenho aqui dentro, essa coisa-nó que é tão pesada e tão leve. Leve pensar, leve sentir, pesado saber, pesado silêncio. Vontade de dizer tantas coisas, aquelas do guardanapo de bar. E o frio, e o silêncio. E o cheiro de alecrim hortelã. E a janela aberta. Olhando daqui o céu é sempre cinza. Mas eu ainda posso fechar os olhos e ouvir o seu sorriso.