É difícil jogar, não saber, não ter certeza, ou pior, não aceitar. O desconhecido existe do outro lado da mesa e eu só queria que você fosse mais simples pra mim, queria te ouvir dizer qualquer coisa fácil sobre nós, mesmo sendo complicado pra você, mesmo parecendo estranho.

Queria que a gente fosse viável.

Eu já escrevi cenas bonitas de nós dois que pareciam impossíveis, e mesmo naquele tempo já queria que não fossem tão impossíveis assim. Agora que a vida muda e reinicia um novo retorno, metrô andando para estação errada, queria que mesmo parecendo não realizável, acontecesse. Nós dois juntos, sabe?

Depois de um bom tempo, você ainda está aqui. Cada vez mais sendo parte do jeito como eu vejo a beleza no dia-a-dia, uma cor primária que eu misturo com outras poucas pra decidir o que me emociona ou não, é natural e difícil de desapegar, uma coisa que já existe antes de qualquer filtro.

Acontece e pronto.

Eu queria ter uma conversa sincera com você, te ouvir falando muito mais que eu, dela talvez brotasse a solução e você teria a liberdade de ser feliz e me fazer feliz do seu jeito. Então rir, ouvir Caetano, fugir pela noite em qualquer felicidade barata, discutir o que já discutimos e o que ainda não, comprar comida e Coca-Cola, beber demais, andar demais, fazer o que se quer fazer seria possível.

Queria te assistir vivendo coisas assim.

Comigo.


(não é meu, mas fala por mim.)

Anúncios

3 comentários sobre “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s